segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Sem Vida Santa? Cuidado, Não Faça Missões


Sem vida santa? Cuidado, não faça missões

Se você quer contribuir com a obra missionária, com ofertas em dinheiro; cuidado. Talvez você não persevere. Aí, quem está no campo vai sofrer com a falta de recursos. Espere. Reveja a sua vida. Se há algo que precisa de concerto, cuidado com a avareza no coração, ela lhe leva àquela motivação de troca e investimento com o "retorno imediato e multiplicado". Aí, talvez, os que se opõem à Missão irão maltratar você. Para contribuir com missões é fundamental uma vida santa.

Se você quer contribuir com a obra missionária orando, intercedendo pelos campos, pelas pessoas, pelos projetos. Cuidado. É necessário intimidade com o Pai. O orar nos aproxima de Deus e a Sua presença nos confronta, revelando as nossas maculas e distorções. Sem o Espírito Santo no comando não existe força para a intercessão.

Os opositores, se encontrarem brechas em sua vida, vão fazer estragos. Eles odeiam a oração. Para orar por missões é preciso não está embaraçado com questões de consumo, de compromisso com dinheiro, não está com amargura no coração, muito menos falta de perdão. Para orar por missões é fundamental uma vida santa.

Se você quer ir fazer missões, sendo voluntário para a Obra; atender o chamado para a Seara. Cuidado. Não vá por emoção, é preciso saber o tempo, o lugar e o que fazer, segundo a vontade do Comandante. Não vá, se você não resolveu o problema do pecado sexual, do pecado social, do pecado familiar, dos problemas de caráter, em sua estrutura, de uma forma geral. Se você for, vai se dar mal. Os opositores à expansão do reino de Deus vão maltratar você, vão confundir você. Você será prejudicado e os danos podem ser graves, tanto para você como para a Obra. Para ir para missões é fundamental uma vida santa.

Para ir, para orar, para contribuir com missões é fundamental uma vida santa. Sem soberba, acepção de pessoas, sem ambição pelo poder, sem superficialismo. Quando me refiro à vida santa não é perfeição, mas o reconhecimento e a confissão de pecados. Assumindo a luta com o pecado ao invés de se auto-justificar ou escondê-lo. É preciso discernir quando é tentação ou opressão, o limite entre desejos carnais e ataques malignos. Tanto um como o outro se vence com disciplina em oração e jejum.
Uma pergunta fundamental: Eu fui liberto das coisas do passado que me afastavam de Deus? A resposta tem de ser exclusivamente "sim". Para se fazer verdadeiramente missões é necessário uma vida santa.

Um comentário:

  1. É incoerente, pregar o Santo e não buscar com seriedade a santidade. Concordo com o que o Pr. Pedro escreveu sim.

    ResponderExcluir