segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Sorrindo

Sorrindo


Se algum dia eu lhe parecer
exagerado, ao falar de você,
em uma mistura de alegria;
com uma pontinha de medo.
É difícil esquecer
quando se amar.
E se você estava sorrindo
como se ainda fosse criança,
sem precisar de um motivo
ou uma filosofia de felicidade;
lembre-se: eu só precisei
disso para sorrir também.
Se foram tantas às vezes
que a vida se complicou (sem motivo)
e eu só precisei de você
para me juntar novamente.
Chorei, é porque sabia que
sensibilidade não é fraqueza.
Se estou entre mil pessoas
e mesmo assim me sinto sozinho
ao querer estar com você.
Isso não deve ser sem motivo
e talvez seja por sentir a sua falta,
a sua presença me faz bem.
Se em cada ausência sua
eu guardo a sua lembrança
assim, como um leve carinho,
e fico sofrendo, aqui, quietinho,
é para que você volte e apague
toda essa saudade que me causou.
Se tantas vezes eu quis impressiona-la,
Lhe dei rosas, escrevi cartas,
me desdobrei em dois, três e mais pessoas,
esforcei-me para fazer o melhor,
sem nunca conseguir explicar metade
do que uma lágrima minha lhe diz.
Se em cada um desses momentos,
sejam eles tristes ou felizes,
uma pequena parte de mim ficou em você
assim como você ficou em mim.
Com muito carinho: eu gosto de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário