quinta-feira, 19 de abril de 2012

A Maior Crise da Eternidade - Sem o Espírito Santo não há obra de Deus - III

A Maior Crise da Eternidade

A maior crise representativa da eternidade foi no processo de prisão, julgamento, crucificação, morte e ressurreição do Senhor Jesus. Nenhum acontecimento foi tão importante e decisivo. O passado o presente e o futuro estavam dependendo do desenrolar conclusivo daqueles acontecimentos.
Grande parte das pessoas discipuladas por Jesus caminhou, ouviu, testemunhou, conviveu, no entorno de três anos com o Mestre dos mestres, com o maior teólogo que já pisou na face da terra, o mais sábio.
Por que essas poucas centenas de pessoas que caminharam com Ele precisariam de auxilio na crise? Eles viram os milagres, conviveram com a encarnação do amor, aprenderam a cristológia da maneira mais profunda. Vivenciaram ensinamentos soteriológicos como ninguém antes e depois experimentou. Uma teologia pura, sem tendências ou distorções. Foram testemunhas da Perfeição Humana Encarnada, da Divindade manifestada de forma extraordinária. Foram confrontados como nenhum com a Santidade manifestada de forma inédita, perfeita maravilhosa, comovente, sublime.
Naquele momento de crise como os discípulos de Jesus reagiram-agiram?
Trago nas linhas abaixo uma analise baseada no que o Novo Testamento expõe sobre eles.
Antes quero voltar ao texto proposto escrito por Lucas. Um relato das ultimas palavras do Senhor Jesus que falou: “Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra".
Em cima dessa frase trago reflito: “O Poder virá através do Espírito Santo”. Palavra grega dunamis (δυναμις), mesma raiz para a palavra dinamite, inventada por Nobel, sueco que estabeleceu o Prêmio Nobel para as mais diversas áreas das ciências e o Nobel da Paz.
Poder para construir e propagar o reino de Deus, poder para “explodir” as obras das trevas. Poder eficiente através do homem quando utilizado na motivação e na atividade correta; também aponta para força, habilidade.
Penso que o poder do Espírito, segundo Jesus, quando ele utiliza a expresão “descerá”, está ligado ao sentido analógico com a água que flui naturalmente de cima para baixo, preenchendo espaços vazios. Só receberá o poder de Deus quem estiver vazio, se a estrutura interior, de alma estiver desocupada de orgulho, de autopreservação numa dimensão carnal e egoísta, esvaziado da auto-suficiência, próprias daqueles que confiam em seus próprios talentos, técnicas e experiências de caminhadas ou religiosas, ou mesmo, na formação acadêmica.

O Poder só é liberado na sua plenitude para os Servos.

Poder para que? para ser testemunha, não para exibicionismo, não para adquirir lucros, não para erguer impérios denominacionais, não para promoção pessoal, mas para expandir o reino de Deus, propagando a Verdade que liberta.
Ser testemunha na expressão do original está relacionado com mártir a palavra é martus. Testemunha que afirma Cristo como o caminho para a salvação. Confessam com todas as forças e com o peso de não ter a vida por preciosa. Com uma autoridade explicita em todo o ser daquele que testemunha.
Para a testemunha de um crime, muitas vezes, basta só afirmar que viu que estava lá no momento e isso é suficiente para a lei. Para testemunhar acerca de Cristo é imprescindível viver o que se fala.
Muitos ditos cristãos não podem evangelizar na vizinhança onde mora porque não tem uma postura condizente com o discurso.
É o caso de um determinado líder que resolveu, finalmente, depois de dois anos morando naquela determinada rua, evangelizar o vizinho do lado. Começou a falar acerca das maravilhas que Jesus pode fazer na vida de quem passa a acreditar nele como senhor e salvador. Fez menção à paz, ao amor, a mansidão, a libertação de vícios... Mas, a pessoa que estava sendo evangelizada o questionou dizendo:
- Pode ser até verdade tudo aquilo que você falou, mas se eu for depender de seu testemunho no dia-a-dia, é mentira. Você é agressivo, orgulhoso e antipático. 
Para testemunhar acerca de Cristo precisamos dar testemunho.
Testemunhar aonde? Testemunhar em todo o mundo. Uma igreja mobilizada para pregar o evangelho em toda a terra. Onde houver ser humano; concomitante, em seu local onde nasceu e cresceu, nas proximidades, em outros paises, nos limites do planeta ou fora dele, desde que tenha gente: “a toda criatura”.
 Em Lucas 24 versículo 49 o Mestre fala: ”Permanecei em Jerusalém até que do alto sejais revestido de poder”. Ou seja, parece que Jesus queria dizer: não inventem de sair de Jerusalém sem o poder do Espírito. Antes: não tentem trabalhar para mim sem o poder do Espírito.
Apesar da caminhada, apesar do conhecimento, de terem sido usados na libertação e cura de muitas vidas (Mt 10.1), apesar da profunda teologia assimilada. Precisavam do auxiliador. Não se pode fazer para Deus sem o Espírito Santo atuando. Ele é o auxiliador.
Não se contribui para o reino de Deus, de forma eficiente, sem as vestimentas, o revestimento mencionado por Lucas “enduo” que significa entrar em uma veste nova. Se vestir, se cobrir do e com o Espírito Santo
 Voltando a refletir naquele momento crucial, no processo de conclusão da obra do Cordeiro analisaremos, nas linhas abaixo, reações, em plena crise, de alguns discípulos, que, até então, ainda não tinham recebido o Espírito Santo.
Continua  no:  Sem o Espírito Santo não há obra de Deus - IV. acesse aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário